Morre em Recife o deputado Miguel Arraes

Morre em Recife o deputado Miguel Arraes
O Globo
Globo Online
RECIFE – Morreu na manhã deste sábado o deputado federal e ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes (PSB-PE), aos 88 anos. Ele estava internado desde 16 de junho, em Recife. O atestado de óbito foi assinado pelo clínico Ciro Andrade Lima e diz que a causa da morte foi choque séptico provocado por infecção respiratória e agravado por insuficiência renal. Arraes morreu às 11h40m. Presidente nacional do PSB, Miguel Arraes foi governador de Pernambuco por três vezes. Em 1964, na época do golpe militar que destituiu João Goulart da Presidência da República, ocupava o posto e, aliado do presidente, teve os direitos políticos cassados. O Palácio das Princesas, no Recife, amanheceu cercado por tropas no dia 1º de abril daquele ano e os golpistas exigiram que o governador renunciasse. Arraes se recusou, sob alegação de que a renúncia seria uma traição ao povo que o elegera. Recebeu voz de prisão e ficou preso em Fernando de Noronha e outras cadeias por 11 meses. Depois de hábeas-corpus, partiu para o exílio na Argélis. Ficou exilado por 14 anos e voltou ao Brasil beneficiado pela Lei da Anistia, de 1979. Clique no título para ler a matéria do Jorna O Globo.


Político, advogado, governador de Pernambuco por três vezes, nasceu a 15 de dezembro de 1916, no município Araripe, Ceará, onde freqüentou os primeiros anos de escola.
Em 1932, concluiu o curso secundário no Colégio Diocesano, no Crato, também Estado do Ceará, e em seguida mudou-se para o Recife, com o propósito de continuar os estudos e seguir uma carreira profissional.
“Naquela época, diria depois, nunca me passou pela cabeça ser governador dos pernambucanos”.
Ao chegar no Recife, o jovem Miguel Arraes presta concurso público e torna-se, em 1933, funcionário do Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA). Em 1937, conclui o curso superior na Faculdade de Direito do Recife e continua sua carreira de servidor público.
Foi graças a essa sua passagem pelo IAA que Arraes se tornaria político. Ali, ele conheceu Barbosa Lima Sobrinho, que chegou a ser presidente do Instituto e, em 1943, o nomeou Delegado Regional do IAA em Pernambuco.
Miguel Arraes iniciou a carreira política em 1948, ocupando o cargo de secretário estadual da Fazenda, a convite do então governador de Pernambuco, Barbosa Lima Sobrinho.
A primeira eleição ele disputou em 1950, elegendo-se suplente e assumindo o mandato de deputado estadual. Em 1958 conquista novamente uma vaga na Assembléia Legislativa de Pernambuco.
Em 1959, foi secretário da Fazenda no governo Cid Sampaio e eleito prefeito do Recife, lançado pela chamada “Frente do Recife”.
Em 1962, Miguel Arraes é eleito pela primeira vez governador de Pernambuco, com 47,98% dos votos, derrotando os candidatos João Cleofas (UDN) e Armando Monteiro (PSD).
No seu governo (que não chegaria a concluir), Arraes desencadeou um programa de caráter “nacional e popular”, com ações voltadas sobretudo para os trabalhadores rurais. Leia mais no site Pernambuco de A/Z

2 comments

  1. O problema muitas das vezes no Brasil é que as pessoas são julgadas por sua ideologia, ou melhor, nos ensinaram a olhar pelo estreito buraco da fechadura ideológica as qualidades que um homem possui.
    O Arraes é um dos homens que fica na história como referência de homem público.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s