Terças Poéticas

Terças Poéticas

Luiz Edmundo Alves Lança “Fotogramas de Agosto”
Terças Poéticas homenageia Valdimir Diniz

*José Aloise Bahia

O projeto de leitura, vivência e memória de poesia Terças Poéticas – parceria da Fundação Clóvis Salgado com o Suplemento Literário de Minas Gerais, apoios culturais da Rádio Inconfidência e Rede Minas de Televisão – sempre nos jardins internos do Palácio das Artes, às 18h30, recebe na próxima terça-feira, 30 de agosto de 2005, Luiz Edmundo Alves em performance e lançamento do livro “Fotogramas de Agosto”, e homenageia Valdimir Diniz através de Daniel Furtado.

O baiano Luiz Edmundo Alves, mineiro de coração, pois mora em Belo Horizonte há 30 anos, estreou na poesia em 1981 com “Entre Outras Coisas”, publicou ainda “Metropolitano Aloucado” (1983), “Sopro” (1990) e “Na Contra Luz” (2002). Também videomaker, produziu e dirigiu uma série de videopoemas “Lampejos”; nas palavras da cineasta Patrícia Moran: “Percorrendo a poesia de Drummond, Rimbaud e seu próprio trabalho, Luiz Edmundo faz uma panorâmica de lampejos aflitivos pela poesia. Da seleção dos poetas ao trabalho de finalização encontramos o olhar honesto e apaixonado do amante da poesia”. Editor do importante site literário e artístico Tanto, www.tanto.com.br, uma revista e mix imaginativo, moderno e lugar dos melhores autores clássicos e contemporâneos. Criou junto com o escritor Wilmar Silva o recital “Poemas de Corte”, apresentado em vários encontros e bienais de literatura pelo Brasil. No Terças Poéticas do próximo dia 30 de agosto, Luiz Edmundo autografará o seu mais recente livro: “Fotogramas de Agosto” (Anomelivros), dividido em três partes, um encontro de cores em matizes e sutilezas, onde a vida é revelada através da perda repentina da esposa Ângela, casada com o poeta por 18 anos. “Fotogramas de Agosto” reúne poemas escritos nos últimos três anos, e reflete a grande mudança sentida por Luiz Edmundo Alves a partir do falecimento de sua esposa.

Valdimir Diniz (1947-1986) nasceu em Belo Horizonte e começou a escrever no Suplemento Literário de Minas Gerais no final da década de 1960 e inicio de 70. Através do grupo “Beco” e da revista de vanguarda “Vereda”, participou do meio cultural da capital mineira, revelando-se um dos autores da emblemática “Geração Suplemento”. O livro “Poesia aos Sábados” (Edições Oficina, 1971, BH), mostra a estréia de um poeta inquieto com a palavra: cortante e agressivo, irônico e sarcástico. Jornalista, trabalhou no “Jornal da Tarde”, São Paulo, depois no “Jornal de Brasília” e na revista “Veja”, mas nunca abandonou a poesia. “Até o 8º Round” (Francisco Alves Editora, 1978, RJ), ganhador do terceiro lugar do Prêmio Remington de Poesia, apresenta em definitivo um poeta amadurecido através de uma linguagem própria, sempre envolvente e escarnecedora. Valdimir Diniz, poeta-boêmio, no inicio da década de 1980 ainda em Brasília, passou a experimentar a poesia falada. Em 1986 foi vitima fatal de acidente automobilístico. Seu legado – dois livros publicados em vida, e inéditos – uma poética de lâminas afiadas, merece com urgência releituras e publicação.

A lista de escritores convidados e homenageados pela “Terças Poéticas” na temporada de setembro/2005 é a seguinte:

dia 06 – Adolfo Maurício Pereira & Dantas Mota;
dia 13 – Dayanne Timóteo & Ide Moura;
dia 20 – Leo Gonçalves & Fritz Teixeira de Salles;
dia 27 – Rodrigo Starling & Alphonsus de Guimaraens.

* José Aloise Bahia (Belo Horizonte/MG). Jornalista e escritor.
Autor de Pavios Curtos (anomelivros, 2004) e
Em Linha Direta (no prelo).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s