XII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga começa dia 16

Começa dia 16 de setembro o XII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga

Este ano o FNT discute “As matrizes das culturas nordestinas no teatro”

Está se aproximando mais uma edição do Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga (FNT). De 16 a 24 de setembro o município cearense, no alto do Maciço de Baturité, vai transformar-se mais uma vez no palco de espetáculos, oficinas, residências artísticas, entre outras manifestações das artes cênicas protagonizadas, em sua maioria, por artistas do Nordeste.

Em sua 12ª edição, o FNT mantém a preocupação em mostrar a arte que se faz hoje nos teatros do Nordeste, assim como promover a discussão de temas relacionados às artes cênicas, por meio de debates, conferências e encontros. Com o tema “As matrizes das culturas nordestinas no teatro”, o XII FNT promove o II Encontro de Gestores de Teatro, o III Encontro de Artistas Pesquisadores e a I Feira de Artes Cênicas “Câmbios, escambos e intercâmbios”.

Este ano o município de Pacoti, vizinho a Guaramiranga, sediará boa parte da programação do FNT. No teatro, anfiteatro, galeria, praça, entre outros espaços da cidade haverá espetáculos de teatro e música, palestra, encontro, vivência, oficina, cortejo de sexta, 16 a sexta 23.

Em Guaramiranga vai concentrar-se a programação da Mostra Competitiva e Paralela, Debates, Te-ato à maia-noite, Mini-Cursos, Mostra Sesc e uma série de outras atividades em locais como os dois teatros Rachel de Queiroz, praças, Mosteiro, Tenda do Sesc, além de Pernambuquinho e Botija.

Com patrocínio da TELEMAR, o FNT é uma promoção da Prefeitura Municipal de Guaramiranga e do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Cultura (SECULT). Realização: Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga (AGUA) e do Theatro José de Alencar.

Bonecos na Abertura

Como já é tradição, a noite de abertura do FNT é marcada pela apresentação de um espetáculo convidado. Este ano, no Teatro Municipal Rachel de Queiroz estará “Cobra Norato”, do Grupo Giramundo, de Minas Gerais. Criado em 1970 pelos artistas plásticos Álvaro Apocalypse, Terezinha Veloso e Maria do Carmo Vivacqua Martins (Madu), o Giramundo tem se notabilizado como um dos grupos de teatro de bonecos mais atuantes e premiados em todo o mundo. Sua atividade não se limita às produções teatrais, estendendo-se ainda ao cinema, vídeo e televisão, exposições e cursos. Sua contribuição na formação de profissionais da área mudou radicalmente o panorama dessa modalidade teatral no Brasil.

“Cobra Norato” foi escrito, pela primeira vez, em 1921, em decorrência das andanças de seu autor, o gaúcho Raul Bopp, pela Amazônia e ainda sob a influência dos “nhengatus” de Antônio Brandão de Amorim, textos de forte influência indígena. Nesta montagem o Giramundo utiliza o poema de Raul Bopp em sua versão integral. Cobra Norato é o próprio poeta que vestido em pele de cobra corre mundo em busca da “Filha da Rainha Luzia’. Sai do fundo da Floresta Amazônica e se dirige a Belém do Pará. O sentido parece ser da selva para a civilização.

Mostra Competitiva

No sábado, 17, terá o início a Mostra Competitiva, da qual o Ceará participa com três espetáculos: “O Realejo” (CE – Texto: Rafael Martins; Direção: Yuri Yamamoto; Grupo: Grupo Bagaceira de Teatro); “Quem dará o veredicto?” (CE – Texto: Gero Camilo; Direção: Otacílio Alacran; Grupo: Cia Teatro e Ato); e “Solo No. 1” (CE – Texto: Ricardo Guilherme; Direção: João Andrade Joca e Eurico Bivar; Grupo: Babel).

De outros estados do Nordeste vêm: “Barra/Shopping” (RN – Direção: João Batista Ferreira Júnior; Grupo: Companhia dos Pequenos Atos); “Braseiro” (BA -Direção: Felipe de Assis); “Caboré, a Ópera da Moça Feia” (AL – Grupo: Associação Teatral nega Fulo); “Cinderela Black Power” (BA – Direção: Renata Duarte); “Estrelas ao Relento” (PB – Texto e Direção: Eliézer Rolim; Grupo: Cia Sírius); “O Guarda-Chuva de Prata” (RN – Direção: Nonato Santos; Grupo: Cia Escarcéu de Teatro); “Jardim” (BA Grupo: Palhaços Para Sempre; Texto e Direção do grupo); e “O Patelin” (AL – Direção: Glauber Teixeira; Grupo: ATA – Associação Teatral das Alagoas).

Para avaliar atuação, montagem, texto, direção, entre outros aspectos dos espetáculos da mostra, o XII FNT conta com um júri formado por Arnaldo Siqueira (PE), Camille Dumoulié (França), Márcio Meireles (BA), Nehle Franke (Alemanha/Brasil) e Fernando Limoeiro (MG), que diariamente pela manhã também estarão debatendo com artistas do festival sobre os espetáculos da mostra competitiva apresentados na noite anterior.

FNT – Pólo de discussão e formação

Ao longo de mais de uma década realizando também debates, fóruns, residências e oficinas, o FNT tornou-se um importante pólo de discussão e formação teatral, promovendo um intercâmbio de conhecimentos e projetos teatrais desenvolvidos por profissionais das artes cênicas nos principais centros culturais do país. Grandes nomes do teatro nacional já passaram pelo FNT, entre eles, Aderbal Freire Filho, Antônio Nóbrega, Sérgio de Carvalho, Luiz Carlos Vasconcelos, Guel Arraes e Matheus Nachtergaele.

Serviço

XII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga – de 16 a 24 de setembro em Guaramiranga e Pacoti.
Informações:
Em Fortaleza: (85) 3262.7230;
Em Guaramiranga: (85)3321.1405.

Assessoria de Imprensa: Dégagé
Jornalistas Responsáveis: Sônia Lage e Eugênia Nogueira
Tel: (85)3261.7009 / 9989.5876 / 9989.3913 /
E-mail: degage@fortalnet.com.br

Fonte: Luciano Sá
Jornalista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s