O Criador e as Criaturas

Texto interessante!

O Criador e as Criaturas

A omnipresença ambientalista em tudo o que seja fazer, é obcecante. São as barragens – Côa, Sabor, etc. – é Rio Frio – cujo até agora inexplicável impacte ambiental ameaça levar o novo aeroporto de Lisboa para os confins – foram as gaivotas de Berlengas – protegidas com tal arte que se tornou necessário começar a abatê-las a tiro para evitar um desastre ambiental na ilhota – são auto-estradas, IP’s, estradas municipais, túneis, etc.. Nesta quadra, onde, à míngua de notícias, para além da nossa consabida penúria financeira e económica, a liturgia católica e o Pai Natal, globalizado, Made in China, nos envolvem e põem a meditar, onde os elementos bíblicos ganham um maior relevo e aguçam a imaginação, é bom que nos debrucemos sobre uma nova perspectiva de ver a questão ambiental.

Acaso Deus, na sua profunda omnipotência, teria podido criar os céus e a terra se tivesse necessidade de um Estudo de Impacte Ambiental? Teriam sido possíveis aqueles 5 primeiros dias do Génesis, hoje designados pelo anglicismo Big-Bang? Porventura não, hoje não existiríamos e, pior que tudo, Haydn não poderia ter composto a soberba Die Schöpfung. Quanta coisa se teria perdido, santo Deus!

Mas admitindo que Deus, todo poderoso, conseguisse levar avante os seus intentos, que dizer da sua obra seguinte: o homem e a mulher? Acaso os ambientalistas iriam permitir a execução de uma obra onde a Área de Lazer e Degustação ficasse paredes meias com um exutor de efluentes? A escassos centímetros? O que bradariam os ambientalistas nos horários nobres das televisões? Quantas queixas seriam apresentadas em Bruxelas? Quantas acções populares seriam interpostas por Sá Fernandes, aliás também ele vítima dessa obra irregular do Criador? Vítima? … julgo que sim … pelo menos no que respeita ao exutor de efluentes …Leia mais no weblogger Semiramis

Comentário de um visitante do blog

Pelo contrário, a colocação de uma área de prazer perto da saída de efluentes indicia um aproveitamento racional dos mesmos espaços para duas funções tão distantes, estranhamente sem conflitos de maior nem impactes negativos evidentes.

Ora isto só é possível porque o Criador, atempadamente, já tinha o seu estudo de impacte feito e o seu plano de criação bem organizado ANTES de decidir criar.

Logo, os ambientalistas aplaudiriam tal criatura que, além do mais, tem um ciclo fechado e é perfeitamente reciclável. Segundo consta, veio das cinzas e às cinzas torna.

A Joana não sabe mas o Criador sempre foi O ambientalista.

Fonte: Blog Semiramis

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s