Severino, o Ladrão de Galinha…

By Sleiyver

Hoje, vou narrar uma história que meu avô contava quando se reunia com os netos pequenos.

Severino, o Ladrão de Galinhas…

Severino, um nordestino que sofria com a seca, todo dia ficava muito triste porque sua família passava necessidade e não conseguia levar nada quando chegava em casa. Além da seca, a cidade era muito pobre e poucos podiam ajudar aos mais necessitados. E, quando o faziam, não dava para atender todos.

Certa vez, Severino, depois de passar um dia inteiro procurando um bico para fazer e já desolado por não ter encontrado, volta para sua casa e, no caminho, vê um pequeno casebre. Ao lado, um galinheiro. Avista umas cinco galinhas e fica pensando.

– Pôxa! O dono desta casa tem cinco galinhas e meus filhos estão passando fome. Acho que, se eu pegar uma galinha, ele não vai sentir falta.

Severino se aproximou da cerca, olhou para um lado, olhou pra o outro, pegou a galinha e saiu na maior disparada.

Chegando em casa, as crianças, quando viram a galinha, ficaram doidas. “Pai! Pai! Nós vamos comer hoje?” Severino, com os olhos cheios de lágrimas, disse:

– Vamos, sim, meus filhos!

A mulher de Severino foi logo perguntando:

– Onde você arranjou essa galinha, homem?

Severino, meio sem graça, disse à esposa que tinha ganhado a galinha em troca de trabalho. Depois, entregou a ave à mulher, que matou a bichinha e preparou só com água e sal. Era tudo o que eles tinham.

As crianças comeram de lamber os beiços! Depois de alguns dias, era a primeira refeição que Severino conseguia levar para casa. Eles dormiram e, no dia seguinte, Severino saiu cedo para procurar trabalho. Só que, então, um pouco mais aliviado, pois conseguira dar um pouco de alimento para seus filhos, ao menos por um dia.

Severino bate em todas as portas e nada de trabalho. No caminho de volta para casa, passa pelo mesmo casebre e olha para o galinheiro. E lá tinha cinco galinhas de novo. Severino para, pensa e fala:

– Uai! Ontem, tinha cinco galinhas… eu pequei uma… tinha que ter quatro. Será que não vi todas?

Severino começa a ficar agoniado, mas não tem jeito. Pela felicidade que vira nos olhos de seus filhos no dia anterior, quando chegou em casa com a galinha, valia a pena correr riscos de novo… Ele se aproxima do galinheiro, olha para um lado e pro outro, pega a galinha e sai na maior disparada.

E lá vai Severino, com a galinha debaixo do braço. Quando chega em casa, é aquela alegria! “Pai! Pai! Você trouxe outra galinha!” Ele fica emocionado mais uma vez por levar comida para casa. A mulher, quando vê a galinha, foi logo falando de novo:

– Ô, Severino, você agora vai ficar trabalhando em troca por galinha, homem?

Ele diz que foi tudo o que conseguiu arranjar e que a esposa devia agradecer a Deus por ter essa galinha para comer.

Ela mata a bichinha e eles comem a galinha. Severino está feliz, pois as crianças, por mais um dia, puderam se alimentar. Dormem e no dia seguinte, lá vai Severino de novo à procura de trabalho e nada! Severino fica desolado!

No caminho de volta, Severino passa pelo mesmo casebre e vê as galinhas, só que dessa vez não tinha cinco galinhas e, sim, oito. Ele pára, pensa e fala consigo mesmo:

– Não é possível! Na primeira vez que peguei a galinha, tinha cinco… ficaram quatro. Quando voltei e peguei a segunda, tinha cinco de novo… eu peguei uma e deixei quatro. E, hoje, eu chego aqui e tem oito galinhas. Será que eu não estou enxergando direito?!

Severino fica agoniado, olha para um lado e pro outro e se prepara para roubar outra galinha. Quando se aproxima do galinheiro e vai dar o bote, o dono da casa, com uma arma, se aproxima e fala:

– Ah! Te pequei, seu ladrão de galinhas safado! Então é você que rouba minhas galinhas?!

Severino não sabe onde enfiar a cara. Pede pelo amor de Deus para o dono não atirar nele. Fala dos seus filhos e da dificuldade que estava passando e que ele não faria mais isso… O dono olha para ele e fala:

– Ô, Severino, vou te fazer uma proposta.

Severino, cheio de medo, porém mais aliviado pelo homem não ter atirado, fica ouvindo.

– Você é muito bom em roubar galinhas. A cada três galinhas que você roubar dos outros galinheiros e trouxer para mim, eu te dou uma.

Severino fica espantado com o que o dono fala e, então sim, entende o porquê de a quantidade de galinhas não diminuir. O dono do casebre também era ladrão de galinhas.

Severino pára, pensa e vê que não tem outro jeito. Se ele não aceita, corre o risco de morrer… e quem vai sustentar a família?! Se aceita, seus filhos terão o que comer até que ele arranje um bico para fazer. Severino concorda e começa a roubar as galinhas dos outros galinheiros e leva para o casebre.

A mulher de Severino não agüentava mais matar galinhas e as crianças já não comiam com tanta satisfação.

Um dia, ao tentar roubar um dos galinheiros, o dono, que havia preparado uma armadilha, acaba pegando Severino, que é preso e levado para a delegacia.

– Ah! Então é o senhor que está roubando as galinhas da vizinhança? O senhor não tem vergonha, não? – diz o delegado.

Severino tenta explicar, mas é humilhado pelo delegado diante dos outros policiais e do dono do galinheiro. A autoridade pergunta a Severino para onde ele levava as galinhas que roubava. Severino fica com muito medo de contar, mas é tão pressionado que acaba contando onde estavam as galinhas.

Na mesma hora, o delegado manda os policiais prenderem o dono do casebre e, quando chegam lá, o reconhecem como fugitivo e o levam para a delegacia.

Quando o delegado vê quem é o outro ladrão, dá uma risada e fala:

– Ora… ora…! João Brejeiro, mais conhecido como João Quebra-Pescoço e ladrão de galinhas. Quem diria! Custamos, mas te encontramos.

João Brejeiro foi interrogado por horas e já de noite o delegado mandou que os policiais o levassem para a carceragem e o colocassem na mesma cela onde estava Severino. Afinal, os dois eram ladrões de galinhas… “que fiquem comendo milhos juntos”, fala rindo.

No dia seguinte, quando o policial entrou na carceragem, encontrou Severino morto com o pescoço quebrado…

Sleiyver: Pois é! O delegado classificou Severino e João Brejeiro como ladrões de galinhas. Mas esqueceu que João já era um assassino frio e tinha várias mortes nas costas, e Severino, um simples ladrão de galinhas. E é esse cuidado que a polícia e o sistema carcerário (leia-se os presídios, que são péssimos em nosso país) têm que ter.

Não estou justificando a atitude de Severino, até pelo contrário. Ele tinha que responder pelos seus atos e ser punido dentro da lei, mas o delegado, ao colocá-lo na mesma cela de João, praticamente o entregou à morte.

Meu avô comentava ainda que cada um que ouvir essa história terá uma visão diferente, mas uma coisa é certa: embora não se justifique o ato de um criminoso, seja ele qual for, devemos ter cuidado para não nos tornarmos tão criminosos quanto ele.

E que fique bem claro que Severino não era nenhum um santinho. Meu avô que era muito religioso terminou a história fazendo o seguinte comentário.

“No segundo dia, quando Severino passou pelo casebre e viu que tinha cinco galinhas e não quatro, não percebeu que talvez Deus, na sua infinita sabedoria e bondade, tivesse colocado uma galinha no lugar para que ninguém descobrisse que, em um momento de desespero, ele tinha cometido um erro grave. Mas infelizmente Severino não entendeu e roubou de novo. Pobre Severino!”

Voltando a falar da polícia, quero dizer que nem todo policial é incompetente, corrupto ou incoerente. Temos grandes policiais em nosso país, que ainda se esmeram para ajudar este povo tão sofrido.

Não somos santos e, às vezes, é preciso burlar as regras para chegarmos aos nossos objetivos, mas a maioria dos policiais vive de seu salário e não do dinheiro alheio.

Julgar Severino é difícil, pois os exemplos deveriam vir de cima, mas não é isso que acontece… Banqueiros aprontam as maiores barbaridades dentro de nosso país e fogem para o exterior; estrangeiros pintam e bordam em nosso país: abrem firmas, ganham dinheiro, depois as fecham e voltam para seus países sem pagar impostos aqui; donos inescrupulosos de construtora, que lesam pessoas que passaram suas vidas economizando dinheiro para comprar um imóvel, estão soltos depois de seus prédios desabarem ou não entregarem os bens; juízes, que deveriam ser um dos nossos maiores exemplos, se curvam diante do poder, quando não se corrompem. Se um ou outro juiz está preso é porque alguém muito poderoso quer…; deputados corruptos são presos, debocham de nossa cara e de toda a sociedade e depois são soltos… ou renunciam para não ser cassados e ainda são eleitos de novo pelo povo. Pobre povo brasileiro!

Severino Ladrão de Galinhas foi preso e sequer tiveram o cuidado de colocá-lo em cela separada. Acabou morrendo. Os assaltantes de bancos e outros também são presos e condenados. Mas e os grandes ladrões de nosso país? Ficam soltos… onde estão?! Por aí, gastando o dinheiro suado de cada brasileiro…

O povo brasileiro precisa aprender a votar. É preciso saber escolher o candidato. Não só aquele que vai fazer algo pelo seu lado profissional, ou por sua rua, seu bairro, seu estado e, sim, pelo todo. Quando passarmos a pensar no PAÍS, talvez tenhamos mais chances de acertar. E o mais importante de tudo é saber exigir as promessas de campanhas e acompanharmos o trabalho daqueles que colocamos no governo, no senado, Congresso, câmaras estaduais e municipais. Enquanto ficarmos assistindo a tudo o que acontece no país, sentados no sofá e reclamando da vida, nada vai mudar.

Pois então, as eleições estão chegando. Aproveitem essa oportunidade para fazer novas escolhas. Ou até mesmo, para corrigir um erro do passado.
Mantenham sua ideologia, mas renovem suas idéias.
Pensem num todo, e não só numa minoria.
Não votem nulo, escolham um candidato.
Não no menos ruim, como tenho escutado, mas naquele que na sua concepção poderá renovar novas esperanças de um país melhor.

Boa semana para todos!

Sleiyver.

Direitos Autorais Reservados a Elaine Paiva

3 comments

  1. È está muito certo ,mas que escolham com responsabilidade🙂
    Elaine consegui comentar aqui , pq mudou a janela que abriu ,essa é melhor, a que abria antes não conseguia , essa é igaul a do meu blog🙂
    Beijooooooooooooo ,saudades !!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s