Polêmica expressa

Encontrei o link dessa matéria no blog Viagens Literárias do Ricardo Freire. 

Em 20 de Março de 2007, Sérgio Rodrigues publicou a matéria abaixo na coluna Todoprosa.

O projeto “Amores expressos” vai mandar 16 escritores brasileiros – alguns inéditos em livro, alguns consagrados, a maioria no meio do caminho – passarem um mês com tudo pago em alguma cidade do mundo, de onde eles se comprometem a voltar com um romance de amor para ser publicado pela Companhia das Letras (embora a editora se reserve o direito de só aproveitar parte do material) e, se tudo correr bem, adaptado para o cinema. Nas andanças por sua cidade turística de eleição (o destino foi escolhido pelos organizadores), cada um será acompanhado durante três dias por uma equipe de cinema, que transformará em documentário esse périplo de 16 autores em busca de 16 histórias.

A notícia do projeto, idealizado pelo produtor cultural Rodrigo Teixeira, 30 anos, responsável pela coleção de futebol Camisa 13 (DBA e Ediouro), explodiu na “Folha de S. Paulo” de sábado e provocou uma agitação incomum nas águas paradas da literatura brasileira. Pode-se afirmar – com algum exagero, claro, mas não mais que o protocolar em clichês como este – que desde então escritores e editores não falam de outra coisa.

Parte do burburinho se explica pelo custo total do projeto: R$ 1,2 milhão, grana vistosíssima num mercado franciscano. O fato de “pouco menos de metade” desse valor, segundo Teixeira, ser dinheiro de renúncia fiscal, captado ou ainda em fase de captação pela Lei Rouanet, contribui para a polêmica – uma polêmica que, justiça seja feita, deveria ir muito além desse caso e envolver um debate sério sobre o próprio mecanismo de financiamento de produtos culturais pelo contribuinte. Não menos ruidosas são as críticas provavelmente inevitáveis à lista de eleitos, elaborada por Teixeira e pelo jovem escritor carioca João Paulo Cuenca, contratado como “coordenador editorial”. Leia mais…

No blog Viagens Literárias  Ricardo comenta sobre os escritores escolhidos que estão falando sobre esse projeto em blogs.

A imprensa recebeu o projeto Amores Expressos (em que 16 escritores são mandados a 16 cidades do planeta para ficar um mês e voltar com a idéia de uma história de amor) com tanta má-vontade e ciumeira, que eu não li em lugar nenhum que os autores iam blogar durante a viagem.

Descobri por acaso, ontem, googlando “Harajuku” pro post da Mô em Tóquio. Leia mais…

O Ricardo que me desculpe, mas não é má vontade da imprensa. O problema são os valores que editoras, empresas ligadas a cultura e outros artistas estão recebendo de benefício da Lei Rouanet em seus projetos. É um absurdo!

Quem tem paciência para pesquisar, vai ficar horrorizado com os deferimentos e indeferimentos dados pelos “técnicos” do Ministério da Cultura. Projetos de outros estados praticamente idênticos aos do Sudeste são indeferidos, mas, já os que saem daqui…Uauuu! Haja dinheiro para bancá-los.

Sds…Elaine Paiva

One comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s